4 de fevereiro de 2010

Como funcionam as viagens de avião com animais de estimação

por Libby Little - traduzido por HowStuffWorks Brasil

Introdução a Como funcionam as viagens de avião com animais de estimação

A sua melhor amiga a convidou para visitá-la por duas semanas e você não a vê há anos. Ela até mesmo se ofereceu para pagar sua passagem de avião, então o que está te impedindo? O seu cachorro. Mesmo depois de sua amiga ter inclusive convidado o seu animalzinho, você ainda se pergunta – Como é que eu vou fazer para levá-lo?
Praticamente todos nós ouvimos a notícia de um gatinho que de alguma maneira escapou do compartimento de bagagem de um 747, mas como funciona quando o seu animal de estimação quer ir junto com você – no seu colo?
E se o seu animal de estimação for um papagaio-cinza africano? Ou um coelho? Ou um macaco? Ou um cão-guia? Ou talvez um peixe tropical? Certamente isso não vai funcionar…. Errado.
Até mesmo sob essas circunstâncias você pode viajar com o seu animal de estimação, desde que siga as condições estipuladas pelas empresas aéreas. Viagens de avião para animais de estimação podem dar muito certo e cada vez mais as companhias aéreas estão se dando conta da importância que é oferecer esse tipo de serviço aos seus clientes.
Todo ano, milhares de pessoas voam para locais espalhados no mundo todo com uma variedade enorme de animais à tiracolo. Mesmo vivendo um momento de incerteza na economia, nós ainda amamos nossos animais. E queremos levá-los junto com a gente nas férias.
Neste artigo veremos como garantir que o voo seja seguro para o seu animal de estimação. Daremos uma olhada na documentação exigida, regulamento das empresas aéreas, a diferença entre viajar com animais que auxiliam pessoas com algum tipo de deficiência (como cães-guia) ou simplesmente animais de estimação, além de checar as regras específicas para as diferentes raças de cães.
  
Documentos necessários para viajar com animais de estimação

O pior pesadelo que pode acontecer com quem viaja de avião é chegar ao aeroporto, fazer o check-in e perceber que não trouxe toda a documentação necessária. As mesmas regras se aplicam aos animais.
Nada de documentos significa... nada de voo. Nos Estados Unidos, por exemplo, cada Estado tem a sua própria regulamentação sobre quais os tipos de animais de estimação que podem desembarcar [fonte: ODA - em inglês]. Os documentos mais exigidos pelas empresas aéreas são:
- comprovante de vacinação contra raiva: a raiva é uma doença grave que pode comprometer não só os animais como também os seres humanos. Esta vacina é obrigatória para animais com mais de três meses de idade e deve ter sido aplicada há mais de trinta dias e menos de um ano antes da viagem. As seguintes informações também devem constar na carteira de vacinação: nome do laboratório, fabricante da vacina, data de aplicação e validade e principalmente a assinatura do médico veterinário.
- certificado de inspeção veterinária: também conhecido como atestado de saúde. Este é um documento assinado por um médico veterinário (que deverá ter registro no Conselho Regional de Medicina Veterinária) e que atesta que o animal foi examinado e que o mesmo não está doente. Esse atestado tem que ser emitido no máximo dez dias antes da viagem.


viagens de avião com animais
© istockphoto.com / Tatiana Popova
Para poder embarcar é preciso apresentar o atestado de saúde do cão

- certificado de aclimatação: este documento apresenta a regulamentação sobre extremos de temperatura – muito quente ou muito frio. Animais que não estão acostumados ao frio extremo podem ser prejudicados enquanto esperam para ser colocados no compartimento de bagagens do avião ou até mesmo dentro do avião. Contate a empresa aérea e verifique se é necessário levar esse tipo de certificado [fonte: LoGiudice, Delta - em inglês].
A grande maioria das empresas possui restrições de temperatura que foram estabelecidas para garantir que os animais não sejam expostos ao calor ou frio extremos. Na American Airlines, por exemplo, os animais não são aceitos quando a temperatura estiver acima de 29,5º C em qualquer ponto do itinerário bem como quando a temperatura estiver abaixo de 7º C em terra [fonte – American Airlines - em inglês].
Outras empresas ainda exigem que o dono dos animal também apresente documento de que o animal está alimentado (comida e água foram oferecidas ao animal antes do vôo), instruções para os funcionários da companhia aérea que estarão em contato com o animal e receita do médico veterinário indicando a quantidade de tranqüilizante ministrada ao animal.

Regras para o transporte de animais


Enquanto algumas empresas permitem que os passageiros embarquem com seus animais na cabine como “bagagem de mão”, outras só permitem aos mesmos viajar nos compartimentos de carga. Aqui vão algumas regras que se aplicam em ambos os casos:
- reservas: as taxas variam normalmente entre US$50,00 e US$150,00 por trecho (o valor das taxas é normalmente baseado no peso do animal ou excesso de bagagem), com a cobrança de taxas adicionais para viagens internacionais ou embarque de animais pesados.
- caixa de transporte: a grande maioria das empresas aéreas exige que a caixa de transporte do animal seja pequena o suficiente para caber sob o assento localizado à sua frente, porém, larga o suficiente para que o animal possa se virar, deitar e ficar em pé naturalmente (o tamanho dos assentos varia de empresa para empresa). Essas caixas de transporte também devem ter compartimento fixo para água e ração.



viagens de avião com animais
© istockphoto.com / Gene Chutka
A caixa de transporte deve caber sob o assento localizado à sua frente

- restrições de idade: filhotes muito novinhos de cães e gatos não conseguirão embarcar. A grande maioria das companhias aéreas exige que estes animais tenham, no mínimo, oito semanas de idade [fontes: American Airlines, Frontier - em inglês].
- movimentação: você pode tirar o cinto de segurança e se movimentar pela cabine, mas o seu animal de estimação terá que permanecer todo o tempo dentro da caixa de transporte. As companhias aéreas exigem que os animais permaneçam dentro das caixas durante todo o tempo de voo, bem como quando o avião está estacionado, taxiando ou ainda enquanto os passageiros estão na sala de embarque. 

Empresas aéreas brasileiras

Confira as regras para transporte de animal observadas nas principais companhias aéreas que operam no Brasil:
TAM – Para embarque na cabine, o peso total do animal com a caixa de transporte não pode ultrapassar 10 kg. Não são aceitos animais na primeira classe em voos internacionais. Taxa: é cobrada uma taxa de R$ 90,00 (noventa reais) + (peso da caixa e do animal multiplicado pelo correspondente a 0,5% da tarifa cheia, do trecho a ser voado) (fonte – TAM).
GOL – Os animais só podem ser transportados no compartimento de bagagem e devem pesar até 30 kg. Taxa: R$ 70,00. Há limite de dois animais por voo (fonte – GOL). 

  
Voando com animais de serviço

Se o cão bonitinho que está na sua frente na linha de segurança estiver usando um colete, não toque. Tal colete (arnês - colete no qual se encaixa uma alça metálica que une o cão à pessoa e que permite perceber com exatidão os movimentos do cão) geralmente usado em cães-guia, significa que o cão está trabalhando.
Pôneis-guia
Pôneis podem servir de guia para cegos tanto quanto os cachorros. Eles são excelentes guias uma vez que são calmos, não se distraem com facilidade, vivem bastante e raramente são vistos como animais de estimação (frequentemente as pessoas acreditam que os cães-guia são apenas animais de estimação). Eles também são permitidos em aviões. Cheque com a companhia aérea sobre a regulamentação existente para animais não tradicionais de serviço [fonte: Guide Horse - em inglês].

Esse cão pode embarcar e curtir a viagem bem ao lado de seu dono no avião. As companhias aéreas são obrigada por lei a permitir que esses animais entrem em seus estabelecimentos e aviões.


viagens de avião com animais
© istockphoto.com / Adam Dodd
Cão-guia trabalhando
De acordo com a Americans with Disabilities Act, entidade que regula o direito dos cidadãos com deficiência nos Estados Unidos, animais de serviço são animais treinados individualmente e que se especializam em determinadas formas de assistência:

- cães-guia para cegos;
- cães-guia para surdos (hearing dogs);
- cães que puxam cadeira de rodas;
- outros animais, como macacos, que executam tarefas similares.

Animais de serviço são permitidos nos aviões e não há cobrança de taxas. Apesar de seu animal poder acompanhá-lo, você poderá encontrar algumas dificuldades no caminho, tais como:
- identificação: a grande maioria das empresas aéreas exige um colete que identifique que este é um animal de serviço. Você também poderá precisar de um Certificado de Identificação do Animal e um atestado de saúde e certificado de vacinação contra raiva. Em quase todos os casos, eles pedirão que você confirme verbalmente que se trata de um animal de serviço. “Garantia verbal” é geralmente definida como uma explicação do quê o animal faz, como ele o assiste ou ainda onde foi treinado.
- regras internas de voo: geralmente é solicitado que o seu animal de serviço não bloqueie o corredor ou as saídas de emergência.
- quarentena: aterrisar em outro país pode deixar o seu animal de quarentena. Cheque com a companhia aérea para saber qual a regulamentação do país de destino. Até o ano 2000, o Havaí era um problema para os animais de serviço que desembarcavam de aviões.
Você pode pensar que animais de serviço são apenas para pessoas com deficiência física, mas existem também os animais de companhia.

Voando com animais de companhia

Alugue um animal de estimação
No Japão as pessoas estão se rendendo aos benefícios de gastar tempo com animais de estimação. No centro de Tóquio, o café Já La La oferece um “gato de companhia” por cerca de US$ 10 por hora. Se você não é fã de gatos, as empresas podem encontrar para você, besouros, furões, cachorros ou coelhos. Mas a tendência vai além dos animais de companhia. Logo, logo as empresas estarão alugando para você um pai, um parente ou até mesmo um marido [fonte: BBC - em inglês]
As pessoas geralmente ficam calmas na companhia de um cão ou gato de estimação, então não é de se surpreender que esses animais estejam sendo usados atualmente no campo da saúde mental como uma forma de tratamento.

A maioria das empresas aéreas inclui esses animais em seus guias de viagens como sendo animais de companhia. Eles podem ser:

- cachorros
- gatos
- papagaios
- macacos

Normas e regulamentos referentes a esses animais podem variar entre uma empresa aérea e outra. Enquanto algumas tratarão o animal como um animal de serviço, outras podem colocar empecilhos se você não apresentar uma deficiência física.


viagens de 
avião com animais
© istockphoto.com / Tony Campbell


De uma maneira geral, você terá que apresentar:

- documento por escrito de um médico veterinário indicando a finalidade do animal, incluindo os benefícios do relacionamento com o animal (normalmente o documento tem prazo de validade);
- documento que prove que o médico veterinário é habilitado para tal;
- documento que prove que você ainda recebe cuidados médicos;
- documento de identificação do animal, além dos atestados de saúde e comprovante da vacinação contra raiva.   

Regras para as diferentes raças de cães

Para viajar com determinadas raças de cães é preciso planejar aas férias com base na previsão de tempo.
Cachorros da raça Pug assim como outros que possuem o mesmo tipo de focinho curto não são autorizados a embarcar se a temperatura estiver acima de  23º C. A companhia United Airlines não permite que algumas raças embarquem no compartimento de cargas ou junto com os donos em qualquer momento entre 1º de junho e 30 de setembro.


viagens de avião com animais
© istockphoto.com / Mark Coffey
Cachorros da raça Pug não podem embarcar se o tempo estiver muito quente
As raças que se enquadram nessa categoria são:
- American Bulldog (Bulldog Americano)
- American Staffordshire Terrier
- American Pit Bull Terrier
- Boston Terrier
- Boxer
- Brussels Griffin
- Bulldog
- Chinese Pug (Pug Chinês)
- Chow Chow
- Dutch Pug
- English Bulldog (Bulldog Inglês)
- English Toy Spaniel
- French Bulldog (Bulldog Francês)
- King Charles Spaniel
- Lhasa Apso
- Japanese Boxer
- Japanese Pug
- Japanese Spaniel
- Mastiff (todas as raças)
- Pequinês
- Pit Bull
- Pug
- Shar Pei
- Shih Tzu
-  Staffordshire Bull Terrier
- Tibetan Spaniel [fontes: Delta, American Airline]
A preocupação com o calor não se limita apenas aos cães. Alguns gatos também não podem embarcar quando a temperatura está muito elevada. A companhia aérea Delta não permite que gatos abaixo embarquem quando a temperatura está acima dos 21º C:
- Burmês
- Exótico
- Himalayan
- Persa
Pode ser que você não encontre essas restrições nos sites das empresas aéreas, então o melhor que se tem a fazer é ligar para a companhia antes de começar os preparativos para a viagem.

Fonte.: Como Tudo Funciona

1 comentários:

Roberto disse...

Para quem não quer sofrer com toda a burocracia, recomendo os serviços da Flying Pet - Assessoria de Viagem Pet Internacional.
http://www.flyingpet.com.br

 
BlogBlogs.Com.Br